Comunhão dos Santos,Comunión de los Santos, Communion of Saints, Comunione dei Santi

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Padre João Baptista Reus

 
Sua vida
João Baptista Reus nasceu em 1868, na Arquidiocese de Bamberga (Baviera, Alemanha). Seus pais, João e Ana Margarida Reus, deram-lhe primorosa educação religiosa. Ensinado por sua mãe, revelou-se João Baptista, desde menino, fervoroso devoto da Mãe de Deus e do Menino Jesus.


Dotado de têmpera decidida e de coração puro, entrou no Seminário de Bamberga e ordenou-se sacerdote em 1893. João Baptista filiou-se à Companhia de Jesus em 1894.


Em 1900 veio para o Brasil. Nos primeiros 11 anos, dedicou-se ao labor Apostólico na cidade de Rio Grande. Em 1912, encontramos Pe. Reus no Colégio Anchieta, de Porto Alegre. Em 1913, foi nomeado Pároco de São Leopoldo.

Desde 1914 até a sua santa morte, dedicou-se à formação do Clero como diretor Espiritual e professor de Liturgia. Até 1913, foi ainda Capelão do Colégio São José, das Irmãs Franciscanas de São Leopoldo(RS). Além do apostolado, é autor de diversas Obras: "Curso de Liturgia" (1952), "Três Mártires Riograndenses" (em Português, Espanhol, Italiano e Alemão), diversos livros de orações e numerosos artigos. Sempre unido com Deus nos seus trabalhos, rezava muito pela salvação das almas.

Sua AUTOBIOGRAFIA e o seu DIÁRIO, escritos em obediência à ordem superior, registram extraordinárias graças místicas, numerosas visões e êxtases, cuja genuinidade julgará a Autoridade da Santa Igreja.

Vivia em união sensível e contínua com Deus. Foi ardente devoto e apóstolo do Sagrado Coração de Jesus, do Imaculado Coração de Maria e do Santíssimo Sacramento.
Seu Lema "Amar e sofrer"!
Sua jaculatória (pequena oração) predileta: "Jesus, Maria, José".
Pe. Reus foi modelar na vida interior, como a dizer-nos: "O dinamismo apostólico meramente externo nada vale sem intensa vida interior".

Já com 79 anos de vida, suspirava pela união definitiva com seu Deus. E, em 04.04.1947, Sexta-feira santa, é sacramentado. Há melhoras: em 10.06.1947, celebra sua última Missa. Sofre muito de asma, mal que o vinha atormentando durante anos. Visitas e visões celestes o confortam. No dia 21.07.1947, às 16 horas, expira santamente...

Seu corpo descansa no Cemitério dos Jesuítas, em São Leopoldo. Seguramente, mais de 200000 graças foram publicadas, atestando sua poderosa intercessão junto ao trono de Deus. Seu túmulo tornou-se alvo de contínuas romarias.

Em vista destas circunstâncias, foram dados os passos preliminares para introduzir a Causa de sua Beatificação. O Cardeal Vicente Scherer, emérito Arcebispo de Porto Alegre, nomeou o Tribunal Eclesiástico para o processo Diocesiano Informativo de Beatificação e Canonização do Servo de Deus, processo que foi iniciado em 25 de julho de 1953 e terminado a 13.11.1958, em Porto Alegre. Já em 10.12.1958, foram levadas todas as atas e documentos da Causa à Sagrada Congregação dos Ritos, em Roma, onde teve início e está prosseguindo até hoje o Processo de Beatificação propriamente dito.
Dos escritores do Padre Reus
"Com o o auxílio da Vossa graça todo-poderoso, quero trabalhar para santificar-me por Vós. As vossas grandes graças, que prodigalizastes a mim, indigna criatura, não me tornam santo, mas sejam um contínuo estímulo a morrer por mim mesmo, a fim de viver só para Vós! Vítima do vosso Amor!" (Diário 04.02.1924)

"Não fui enganado nas esperanças que pus na Companhia de Jesus. Não somente achei o que tinha almejado, mas muito, muito mais e até muitas coisas, nas quais nem me teria atrevido a pensar. Por isso, a minha felicidade de agora (1934) é tão grande como a daquela vez, em que fui admitido sob a bandeira do nosso Rei Divino" (Diário)

"Maria é a Medianeira de todas as graças... Principalmente para com o sacerdote, a quem tanto ama e a quem confia que possui mais caro: seu Divino Filho no Santíssimo Sacramento".
Oração para novena
Ó Deus, que vossa infinita bondade e misericórdia inspirastes ao Vosso humilde servo João Baptista tão ardente desejo de perfeição e o comulastes de tantas e tão extraordinárias mercês, concedei-me a graça de imitá-lo na entrega total ao Sagrado Coração de Jesus, no amor à cruz e ao sacrifício, na estima da Santa Missa, na Intimidade com Jesus Sacramentado, no zelo pelas vocações sacerdotais e na devoção filial ao Imaculado Coração de Maria, Medianeira de todas as graças. Ó Deus, que glorificais a quem vos glorificai o Vosso servo João Baptista, que em vida Vos amou e glorificou, concedendo-me, por sua intercessão a graça... que instantemente Vos peço. Por Jesus Cristo, Nosso Senhor. Amém.

JESUS! MARIA! JOSÉ!
Pai-nosso - Ave-Maria - Gloria ao Pai.

Sem comentários:

Enviar um comentário